Como Ganhar Seguidores No Facebook?

05 May 2019 04:21
Tags

Back to list of posts

<h1>Utilizando As M&iacute;dias sociais Como Arma De Divulga&ccedil;&atilde;o E Vendas</h1>

<p>Com o surgimento das redes sociais, e-mails perderam a predomin&acirc;ncia na comunica&ccedil;&atilde;o on-line. Todavia, nos &uacute;ltimos anos essa tend&ecirc;ncia parece estar se invertendo, e as newsletters vivem uma esp&eacute;cie de renascimento. Produtores de assunto on-line t&ecirc;m apostado por esse tipo de intercomunica&ccedil;&atilde;o pra possuir uma rela&ccedil;&atilde;o mais pr&oacute;xima com os leitores, deixando de lado a abund&acirc;ncia de dicas em m&iacute;dias como Facebook e Twitter.</p>

<p>Moreno Cruz Os&oacute;rio, 34, que h&aacute; dois anos produz a newsletter do Farol Jornalismo, sobre o assunto comunica&ccedil;&atilde;o. Empresas Fazem uso Tecnologia Para Mirar Clientes Pelo Endere&ccedil;o , 30, uma das criadoras da plataforma de aprendizagem Cinese e do blog Comum —voltado pra mulheres—, a popularidade das newsletters representa o regresso a um espa&ccedil;o de escuta. As newsletters de Anna e Os&oacute;rio come&ccedil;aram com posts no Facebook, mas o fato de os algoritmos da m&iacute;dia social n&atilde;o entregarem para todos os leitores o assunto publicado os fez migrar pro e-mail. Os&oacute;rio observa que, ao mesmo tempo que h&aacute; um movimento de volta pra newsletter, h&aacute; outro de afastamento das m&iacute;dias sociais. 25 Fun&ccedil;&otilde;es Pouco Conhecidas Do Twitter sinaliza a probabilidade de aprofundamento como um dos trunfos das newsletters.</p>

<p>Outra marca do renascimento das newsletters &eacute; a curadoria. Pro professor de jornalismo da ESPM, Paulo Ranieri, 35, &eacute; exatamente deste jeito que n&atilde;o se podes dizer em &quot;morte&quot; das newsletters, e sim em &quot;desuso&quot;. Ranieri acredita que esse remodelamento neste momento ocorreu com as newsletters comerciais, o chamado e-mail marketing, que hoje n&atilde;o &eacute; difundido apenas por e-mail, contudo em outros canais de comunica&ccedil;&atilde;o, inclusive nas m&iacute;dias sociais. Se antes este tipo de material n&atilde;o passava de um material de vendas, hoje &eacute; um assunto filtrado pra que as pessoas tenham acesso facilitado &agrave;s infos a respeito de os produtos.</p>

<p>Newsletters como a da start-up theSkimm provam que investir nessa forma de intercomunica&ccedil;&atilde;o n&atilde;o &eacute; nada antiquado —e poder&aacute; ser bem rent&aacute;vel. As americanas Danielle Weisberg, 30, e Carly Zakin, 30, largaram seus empregos como produtoras da rede de Tv americana NBC News em 2012 para investir no neg&oacute;cio de not&iacute;cias explicadas em tom informal regressado principalmente pra mulheres adolescentes.</p>

<ul>
<li>Quem s&atilde;o as pessoas que voc&ecirc; quer atingir</li>
<li>Flickr: partilha de imagens</li>
<li>Planeje o seu dia</li>
<li>Continue Execu&ccedil;&atilde;o Urbana Necessita de Mudan&ccedil;as No Gerenciamento Econ&ocirc;mico ess&ecirc;ncia</li>
<li>Experi&ecirc;ncias irrelevantes pra vaga</li>
<li>Jessica comentou: 23/07/doze &aacute;s 00:Trinta e cinco</li>
<li>Pipoca: 25%</li>
</ul>

<p>Inicialmente escrita na sala do apartamento que as fundadoras dividiam, a newsletter conta hoje com mais de 3,cinco milh&otilde;es de assinantes. Oito milh&otilde;es para o lan&ccedil;amento de um est&uacute;dio de v&iacute;deo. A iniciativa as colocou pela tabela das 40 pessoas mais influentes com menos de 40 anos da revista &quot;Fortune&quot;.</p>

<p>Apesar do sucesso de newsletters como theSkimm, diversos produtores de conte&uacute;do ainda n&atilde;o veem nas listas de e-mail uma refer&ecirc;ncia de renda. Imediatamente Anna coloca em seus e-mails um convite pra que o leitor &quot;liberte teu potencial&quot;, contribuindo voluntariamente por meio da plataforma de financiamento coletivo recorrente Unlock. Ghedin det&eacute;m duas modalidades de newsletter, uma paga e outra gratuita.</p>

<p>Oito por m&ecirc;s. Al&eacute;m dela, o assinante assim como ganha adesivos do site e pode participar dos desafios mensais, que valem pr&ecirc;mios in&uacute;meros. Apesar da rentabilidade, Ghedin n&atilde;o v&ecirc; essa troca como uma transa&ccedil;&atilde;o comercial convencional. Por Que Oferecer Atendimento Ao Comprador Nas M&iacute;dias sociais? vis&atilde;o &eacute; poss&iacute;vel em raz&atilde;o de h&aacute; programas gratuitos de administra&ccedil;&atilde;o dos envios. Anna e Ghedin fazem uso um dos maiores do mercado, chamado MailChimp, que conta com mais de doze mil compradores. No plano gratuito, &eacute; poss&iacute;vel enviar at&eacute; doze 1000 emails mensais pra at&eacute; 2.000 assinantes. O programa tamb&eacute;m apresenta algumas op&ccedil;&otilde;es pagas, com vantagens como a promessa de maior personaliza&ccedil;&atilde;o dos emails e ferramentas de supervisionamento.</p>

social-media-marketing-ss-blue-1920.jpg

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License